quarta-feira, 7 de abril de 2010

CHEGA DE CHUVA, QUE VENHA O SOL!!


Estou sentada em minha sala, no único canto sem goteiras! Moro no último andar de um pequeno prédio de três andares e, com a força da chuva, entrou água por tudo quanto é lugar. Não fui trabalhar, estou com uma tremenda dor no joelho (resultado de uma artrite que tenho desde de criança) e não quis me arriscar nessas ruas sujas e caóticas em que se encontram nesses dias. Tive sorte, pois assim, pude chamar alguém pra vir tirar a água que se acumulou na laje. Dois profissionais já estão fazendo esse serviço e eu me sinto mais tranqüila. Amanha, não vou mais ter que tirar água da cozinha e da sala com balde. Vejo o sol, timidamente, querendo sair de trás das nuvens, querendo esquentar um pouco esse Rio, que ficou tão frio e triste nesses últimos dois dias.
Minhas goteiras, nem de perto, causaram tantos problemas, quanto tiveram outras pessoas, que perderam todas suas coisas e principalmente famíliares. Fico lendo as notícias e ouvindo pela TV, o julgamento de quem é culpado por tudo isso. Os "demagogos de plantão" como disse o Eduardo Paes, começam o jogo de culpar este ou aquele outro. Não votei no Eduardo Paes, ou no Sérgio Cabral, mas eles não são os únicos culpados de toda essa tragédia. O Rio já está abandonado há muito tempo, por outros governantes também, e cada um que vem, faz nada ou muito pouco pra resolver os problemas. Todos nós temos nossa parcela de culpa. Queremos o progresso mas não suas consequências. E quando as tragédias vêm, como resultados de nossas próprias inconsequências, jogamos a culpa nos outros.
Agora não é hora de culpar ninguém, mas de lamentar! Lamentar pelas vidas perdidas, lamentar pelo Rio de Janeiro que se encontra cheio de lama, lamentar por nós mesmos. Mas também devemos refletir, pensar onde podemos mudar, o que ainda podemos fazer! Não acho que a natureza se vingue, acho que ela segue seu curso, nós é que estamos no meio, atrapalhando seu caminho.