domingo, 8 de maio de 2011

PARIS! COMEÇANDO PELO FIM!

Pois é, cá estou em Paris! Um sonho sonhado há muito tempo. Do tempo que eu nem em sonhos me imaginava aqui. Mas, o mundo dá voltas e, nessas voltas me deixou aqui. Cheguei!! E fui muito bem recebida pela Cidade Luz, que com o sol brilhando me recebeu de braços abertos!


Bien. Como eu acredito, Deus está viajando comigo e, portanto, nada saiu do normal. Voo, imigração, hospedagem, tudo na mais perfeita ordem. Por incrível que pareça ainda tive que explicar pro motorista de taxi como chegar no endereço. Pode?? Santo Google maps, pois já havia visualizado o prédio e o entorno, além de saber que o cemitério mais famoso da cidade ficava por perto! Pronto, foi eu falar no cemitério e o chauffeur se encontrou!!

Apesar do imprevisto com o endereço, pois a agencia de intercâmbio colocou um número errado, o resto foi tranquilo. Agora é dar tempo a adaptação.

Estou morando em um apartamento com uma madame de 54 anos, muito simpática e falante. Cheguei à noite com dor de cabeça, por causa do esforço pra entender tudo que era dito. Ela diz que é casada e que o marido trabalha à noite. Eu ainda não o conheci. Se ela tem filhos não consegui compreender ainda (rsrsrsrs) ela "parle très rapide".

Terei que me acostumar com a "salle de bains" (onde tomamos banho) e o Toilette (o nosso lavabo) separados. Além disso, não tem chuveiro, to tendo que me arrumar com uma ducha, e sinceramente, to me enrolando toda. Quero pedir um tapete pra pôr na banheira, pois estou com medo de escorregar, mas não sei como pedir isso em francês (rsrsrs).

Tirando isso, o resto é bem tranquilo. Tem até wi-fi, e eu posso me comunicar com todos de casa mesmo, nao vou ter que sair pra ir a um Café. Feita as apresentações, fui pra rua, conhecer o entorno e aproveitar pra fazer o primeiro passeio.
Onde todos terminam eu comecei; pelo cemitério. Fui conhecer o Père Lachaise, o cemitério mais famoso da cidade.

Gente, definitivamente, mapa e eu não nos entendemos. Ele diz pra ir para um lado, eu vou para outro. Me perdi várias vezes, e nessa me cansei demais. Quando eu cheguei finalmente no cemitério, estava morta!! De cansada, é claro!

Mas, antes de disso, peguei ônibus (duas vezes para chegar no mesmo lugar), desci errado e uma senhora muito simpatica me ajudou, até ingles falou comigo, pra ver se eu me situava melhor. Isso desmitificou totalmente a idéia de frances antipatico. Todas as vezes que precisei de ajuda, prontamente, me ajudaram. Sorte? Acho que minha simpatia conta! (rsrsrsrs)

Depois de finalmente ter encontrado a rua que daria no cemitério, resolvi almoçar, pois estava faminta. Há muuuuitas opções de lugar para comer e, para minha surpresa o preço não era essa exorbitância toda. Comi muito bem por 11 Euros.

Antes de sair fui ao toilette e voces nao vão acreditar, fiquei presa. Já imaginou ter que pedir ajuda em francês. A minha sorte é que logo depois veio uma mulher e percebeu que eu estava presa e pediu ajuda. Ninguém merece!

Enfim, cheguei ao cemitério!! E tinha muita gente!! Todas vivas! (rsrsrsrs). Gente, eu não andei nem metade do cemitério. Ele é muito grande. Guias turisticos de cemitério se esbarram lá dentro. Não fosse seguir um deles (assim, na surdina) eu não chegaria a nenhuma sepultura famosa. Mas a de Kardec, eu achei sozinha!! Tinha um monte de gente lá rezando perto dele.

O Cemitério é grande e bonito. E claro, como é um ponto turístico, limpo e bem conservado. Aí estão algumas fotos desse meu primeiro passeio.

Cheguei em casa morta de cansada. Não saí mais, dormi um pouco, pois 10 horas de voo é muita coisa. Ainda não decidi meu proximo roteiro. A bientôt.