sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O QUE SIGNIFICA AMAR VERDADEIRAMENTE UMA PESSOA?


Esta pergunta inicia o romance que estou lendo agora! Resolvi dar um tempo às leituras muito complexas e resolvi ler um romancinho mais "mamão com açúcar" para variar um pouco! Mas essa é uma pergunta complexa, não é? Não cheguei ao fim do livro, por isso, não sei ainda qual é a resposta do autor.

O que nos faz amar uma pessoa e decidir que ela será nossa companheira para toda a vida?
Hoje os relacionamentos estão cada vez menos duradouros. Exigimos muito do companheiro (a) e muitas vezes não queremos nos doar na mesma proporção. A nossa tão desejada liberdade de escolha, faz com que possamos escolher quem queremos baseada apenas na nossa lista de requisitos de pessoa ideal.

Os homens buscam mulheres bonitas, inteligentes e que sejam boas esposas e boas mães. As mulheres hoje, buscam homens que lavem, passem, cozinhem e troquem as fraldas das crianças. Todos os afazeres que não queremos mais ser as únicas a exercer. No entanto, na hora da troca do carinho, da comunhão das alegrias, mas também dos problemas, cada um vai pro seu lado, pois isso não querem compartilhar.

Amar alguém é amá-lo por completo. Com seus dons, mas também com seus defeitos. Porque não somos perfeitos. E não somos obrigados a aparentar uma felicidade constante quando não a temos. E, quando temos um companheiro (a) que entende isso, é muito bom.

Temos dias alegres, temos dias tristes, temos dias de mal humor, temos dias de vontade de ficar só, dias de ficar acompanhados. Todos temos esses conflitos dentro de nós o tempo todo, não somos tão diferentes assim. E, se queremos ser compreendidos, também devemos compreender. É estrada de mão dupla, não pode ser diferente!

Um dia conheci uma pessoa, e o nosso relacionamento começou de maneira completamente diferente de tudo que esperava. Com personalidades completamente diferentes, tínhamos tudo para dar errado. Mas encontramos aquilo que nos unia, que nos tornava um.

O companheirismo nos aproximou cada vez mais, e a divisão dos afazeres domésticos veio naturalmente. Tivemos dúvidas, discutimos (sem jamais nos ofender), conversamos e persistimos, porque o que nos unia era mais forte. Nos momentos mais difíceis de nossas vidas estávamos juntos, nos melhores também. E vamos vencendo cada obstáculo nessa nossa caminhada.

Mais do que palavras, são os gestos, as ações que vão revelando o quanto nos queremos bem. E quanto mais nos conhecemos, mais podemos ver nos pequenos gestos, como amamos uma pessoa!!

Semana passada recebi um telefona do meu querido e eterno namorado me comunicando que havia feito uma loucura. Fiquei surpresa, pois não é, em absoluto, de sua personalidade, "cometer loucuras". Fiquei aguardando, pra saber do que se tratava. Então, ele me comunicou que havia encontrado um gatinho abandonado na rua e que não podia deixá-lo lá de jeito nenhum. Tinha resgatado o pobre bichano e depois pensaria o que fazer! Qualquer outra mulher chiaria, uma vez que já temos dois. Mas, naquele momento, não podia ser diferente, aquele era o homem que eu amava, e amava por isso, por esses pequenos gestos. E, cuidar do outro, quer humanos ou bichinhos fazia parte de seu ser!

Precisamos ser menos exigentes na nossa lista de critérios ideais, e nos permitir trocar o que verdadeiramente é importante em um relacionamento: o companheirismo e a comunhão!