domingo, 12 de junho de 2016

Consideremos justa toda forma de amor

Comercial, uma data comercial. O nosso dia dos namorados começou para ajudar uma loja em suas vendas no mês de junho, mês morto, por não ter nenhuma data comemorativa. Daí um empresário resolveu escolher o dia 12 de junho, um dia antes do dia de Santo Antonio, o santo casamenteiro.  Com a frase "não é só com beijos que se prova o amor" a loja alavancou suas vendas e transformou a data em dia de trocar presentes entre os namorados a partir de 1948.

Mas a data teve dia mais glamouroso, e data do século III, quando o imperador Claudio II decidiu que, para que seus soldados fossem mais dedicados às batalhas, não se casassem. Porém, o padre Valentim decidiu se opor à decisão e casava clandestinamente os amantes desejosos de enlaces matrimoniais.  É claro que isso não agradou ao imperador, e o santo padre casamenteiro foi parar  na prisão.  Durante o tempo que ficou preso conheceu a filha do carcereiro por quem se apaixonou perdidamente.  Antes de ir para a forca deixou um bilhete de despedida para a amada onde se lia "Adeus, do seu Valentim", tornando-se o primeiro cartão do dia dos namorados.  Mais tarde, o dia do Santo tornou-se o dia dos namorados em diversos países, na data de 14 de fevereiro.

No entanto, o dia de São Valentim teve suas comemorações ligadas à condutas mais rebeldes no que diz respeito aos valores rígidos das relações amorosas impostas pela Igreja Católica na era medieval. Nas festividades do dia do Santo, as mulheres casadas reconquistavam as liberdades de quando eram solteiras, e paqueravam quem quisessem, podendo cometer adultérios com o consentimento dos próprios maridos.  Era uma conduta para desafiar a tão sagrada fidelidade promovida pela igreja católica.

O mundo mudou muito dezoito séculos depois.  E as relações amorosas embora tenham mudado, ainda há pessoas que se apaixonam, têm casos amorosos, "ficam, namoram, casam e ...traem.  Muitos casais encontram a forma mais adequada para se relacionarem, forma mais liberais, mais abertas, mais leves.  Outras formas de amar vão tentando ganhar seu espaço, ainda que com tantas batalhas. E cada um vai tendo o seu direito de amar como quiser. Nenhuma lei, nenhum dogma deveriam estar acima de um amor verdadeiro. 

Hoje foi um dia triste para a humanidade. Enquanto no Brasil festejamos o dia dos namorados, cinquenta pessoas foram assassinadas nos EUA porque suas formas de amar não correspondiam aos padrões impostos pela sociedade. 

Bom seria que as pessoas pudessem se amar livres de amarras, livres de preconceitos, longe da violência.  Que bom seria que as pessoas pudessem sair por aí, de mãos dadas, se amando, sem medo, sem dor.













http://www2.uol.com.br/historiaviva/noticias/as_origens_historicas_do_dia_dos_namorados.html
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/policia-diz-que-ataque-em-boate-nos-eua-deixou-50-mortos.html